Histórias da Ditadura

Artigos

Artememoria
03
mar
2018

Artememoria Magazine


 

Read the English version of the article (Click here).

 

Uma nova publicação sobre a ditadura militar brasileira é lançada em março: Artememoria é uma revista online de arte em língua inglesa que aproxima a relação entre arte e memória da ditadura no Brasil

O período de 21 anos de autoritarismo no Brasil, entre 1964 e 1985, é raramente discutido em inglês fora da academia. Mas a ditadura não é um tópico histórico de um nicho relevante somente para brasileiros e especialistas. É um período da história que merece uma audiência mais ampla, não somente porque a ditadura foi parte de uma onda de regimes autoritários no Cone Sul, formada com o apoio dos Estados Unidos sob a Doutrina de Segurança Nacional, mas também pelo fato de suas estruturas opressivas persistirem até hoje. Com a tendência autoritária emergindo globalmente, a discussão sobre ditadura e sua continuidade persistente na democracia precisa ser uma conversa para além das fronteiras dos Estados nacionais. Tratar sobre o que a arte representou e continua a representar é desafiador; e resistir à violência do Estado é uma maneira de começar essa conversa de maneira mais global. Esses são os fundamentos da revista Artememoria: a necessidade de memória coletiva sobre a violência do Estado e uma apreciação do poder da arte na construção dessa memória.

 

Artememoria

Obra ‘Memória do esquecimento: As 434 vítimas’ na exposição Hiatus, artista Fúlvia Molina (2017). Imagem: Joca Duarte.

 

Artememoria publica arte original, entrevistas, resenhas críticas e mais – em formato digital, de livre acesso, sem fins lucrativos. A Labouisse Fellowship da Universidade de Princeton patrocina completamente o projeto. Eu sou a editora-fundadora da iniciativa, estudei literatura comparada e participei de estudos latino-americanos em Princeton. O conceito da revista veio de minha pesquisa acadêmica sobre a memória da ditadura na literatura da década de 1990 no Brasil e na Argentina, assim como a cobertura jornalística no Brasil – mas a publicação não representa simplesmente a minha perspectiva pessoal. O objetivo principal desse projeto é ser o mais coletivo possível e que aumente até a revista se tornar bem conhecida. Com a contribuição de artistas, submissões abertas para novas pautas, e a compatibilidade do site para fazer artigos em várias línguas, Artememoria é uma plataforma colaborativa que pode crescer com sua audiência.

A revista lançará edições com um misto de mídias e artigos focalizados em um tema. A primeira edição se chama “Witness Testimony” (O testemunho, em tradução livre) e tem entrevistas com duas vítimas da ditadura brasileira: o documentarista Silvio Tendler e o editor das entrevistas de O Pasquim, Richard Goodwin. Também estão incluídas nessa edição contribuições dos romancistas Bernardo Carvalho e Ricardo Lísias, um tour virtual de uma exposição de artes visuais no Memorial da Resistência (o único museu brasileiro sobre memória da ditadura militar), uma série de entrevistas sobre a atual censura às artes no Brasil – e mais. Witness Testimony utiliza uma mistura eclética de conteúdo para contemplar testemunhos de artistas à violência de Estado, particularmente quando o Estado tenta obscurecer ou silenciar essas instâncias de violência. Cada artigo encontra ecos, paralelos e contrastes com outros trechos da edição, inspirando questões sobre temas como censura, transições políticas, sátiras, fotografia, sexualidade e mais.

 

Artememoria

Escritor Bernardo Carvalho. Imagem: Lara Norgaard.

 

Eu proponho dois desafios ao leitor de Artememoria. Primeiro, eu espero que você leia Witness Testimony procurando pelos elos temáticos, ligações estéticas e questões teóricas que eu nem mesmo imaginei. Depois, peço para você utilizar esse pressuposto para me ajudar a construir as edições futuras da revista com mais representatividade para mulheres e negros, com seus próprios conceitos e memórias, com arte nova, literatura, música e filmes. Durante esse processo, Artememoria vai também permanecer ativa em seu blog (disponível aqui). Lembre-se de dar um like na página da Artememoria no Facebook.

 

Lara Norgaard é editora da Artememoria Magazine.