Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

07
abr
2017

As confissões do DOI-CODI.

Agentes do órgão criado pelos militares em 1969 para combater a grupos de esquerda contam como eles agiram até 1991; entrevistas inéditas revelam detalhes de prisões e de mortes.

Criado pelos militares com o nome de Operação Bandeirante em 1969, o  Destacamento de Operações de Informações (DOI) ganhou esse nome em setembro de 1970. Ele centralizou o combate aos grupos de esquerda que se opunham ao governo militar inaugurado em 1964. Com uma estratégia militar e com táticas policiais, o destacamento uniu militares das Forças Armadas e integrantes das Polícias Civil, Militar e Federal.

Para contar sua história, foram entrevistados 97 pessoas, 25 das quais agentes que trabalharam no lugar. São homens e mulheres – militares e policiais – que revelaram detalhes de prisões e mortes.  Também foram ouvidos coronéis, delegados e políticos que cuidaram da Segurança Pública do Estado. Vinte trechos de entrevistas concedias entre 2004 e 2014 – todas inéditas – foram selecionados para mostrar como o destacamento atuou durante o regime e o que pensavam seus homens. Algumas das vozes fora distorcidas para preservar o anonimato de  agentes.

Leia mais: Estadão