Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

24
fev
2017

Atemporal e libertária, Tropicália revoluciona cultura há 50 anos.

As águas de Amaralina continuam azuis como na canção. Movimento atemporal e libertário que revolucionou a cultura brasileira, a Tropicália completa 50 anos e recebe todas as homenagens na maior festa popular, o carnaval da Bahia. A ode ao movimento começa nesta sexta-feira (24), no circuito Batatinha, às 20h, no Pelourinho, com o encontro de dois tropicalistas: Gilberto Gil e José Carlos Capinam. Com influência na música, artes gráficas, design de objetos e instrumentos, assim como em roupas e comportamento, a Tropicália mudou a direção da cultura brasileira.

“A Tropicália veio para ficar. Os esboços de movimento que se sucederam não chegaram a se tornar um movimento tão concisamente articulado como foi o Tropicalismo, com seus autores, os seus intérpretes, os seus exegetas, aqueles que explicaram o que era o Tropicalismo, mas tudo que veio depois”, conta Gilberto Gil. A canção ‘Tropicália’, de Caetano Veloso, segundo Gil, é emblemática e descreve o movimento.

Leia mais: Portal G1