Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

30
jan
2017

Caminhando e cantando.

Quando o urbanista Lúcio Costa e o arquiteto Oscar Niemeyer trabalharam no projeto da Nova Capital do Brasil, pensaram em um local onde as pessoas pudessem se reunir para manifestar-se contra tudo, para onde acorreriam e dizer de seus anseios e demonstrar suas inquietações. Atendendo ao pedido do presidente Juscelino Kubitschek, idealizador da cidade, Lúcio e Oscar decidiram que esse lugar seria o gramado em frente ao Congresso Nacional.

E foi justamente no espaço que ganhou o nome de Praça do Povo que, em 1969, populares fizeram esse protesto contra o regime militar que governou o Brasil de 1964 a 1985. O marechal Arthur da Costa e Silva presidia o País e havia sofrido uma embolia cerebral. Impossibilitado de governar, teve de ser afastado. Seu vice, Pedro Aleixo, era civil e foi descartado para substituí-lo. Mudou-se às pressas a Constituição e em seu lugar, assumia o poder uma junta militar composta pelo general Lira Tavares, pelo almirante Augusto Rademaker e pelo brigadeiro Márcio de Sousa e Melo.

Leia mais: Os Divergentes