Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

05
mar
2017

Daniel Medeiros: O patriotismo como símbolo de pertencimento.

Michael Sandel, professor do curso de Direito em Harvard, discute a importância de o Estado criar obrigações aos cidadãos, de forma a fortalecer os laços de pertencimento com o espaço público, o ambiente no qual todos – ricos e pobres, brancos e negros, nacionais e imigrantes, jovens e velhos, homens e mulheres, aptos ou portadores de deficiências físicas ou mentais – convivem, mais ou menos, intensa ou sazonalmente.

Sandel questiona duas características da legislação americana que, segundo ele, enfraquecem esse laço de pertencimento: o voto facultativo e o serviço militar não obrigatório.  Para Sandel, recuperando a ideia aristotélica de “bem”, a finalidade da ação virtuosa não é a maior satisfação ou simplesmente fazer o que “é certo”. É agir para o bem comum, o bem da polis, da comunidade compartilhada. Isto é, a pátria.  Daí o jurista e professor norte-americano criticar o esvaziamento das ações nas quais todos os cidadãos conviveriam e partilhariam um propósito comum: a proteção de seus locais de pertencimento.

Leia mais: Correio do Estado