Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

08
fev
2017

Distrito Federal: arquivos sobre mortes de Ana Lídia e Honestino Guimarães desapareceram.

Os documentos secretos liberados pelo Arquivo Público do DF (ArPDF) jogaram luzes sobre a atuação dos militares em Brasília no período da ditadura. No entanto, muitas histórias continuarão nas sombras. É o caso de episódios emblemáticos ocorridos na capital, como o desaparecimento do líder estudantil Honestino Guimarães, quando tinha 26 anos, e o brutal assassinato de Ana Lídia Braga, 7. As duas vidas foram interrompidas em 1973, e a falta de informações no acervo dos órgãos oficiais despertou a atenção até mesmo de servidores do Arquivo Público local.

O superintendente do ArPDF, Nickerson de Almeida, confirmou à reportagem que existe a possibilidade de que parte do material tenha sido destruído. “A entrega dos documentos é de responsabilidade do órgão que os produziu. No caso, a Secretaria de Segurança. Não temos como confirmar ou garantir que parte do acervo tenha sido extraviada. Mas o fato de as investigações terem seus registros pela metade suscitam a suspeita de que nem todos os arquivos tenham sido entregues”, afirma.

Leia mais: Metropoles