Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

13
jan
2017

EUA tinham políticas para atrair artistas brasileiros na ditadura.

Motivada pela vontade de entender o que artistas brasileiros foram fazer nos Estados Unidos durante a ditadura militar, Dária Gorete Jaremtchuk, professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, foi ao país traçar um mapa que mostrasse o que eles fizeram, suas criações artísticas e onde foi exposta essa produção. Chegando lá, no entanto, ela entrou em contato com fatos que não havia imaginado. “Descobri que a situação era um pouco mais complicada. Na verdade, houve uma política norte-americana que fez com que intelectuais, professores e artistas fossem para os Estados Unidos, e isso fez com que minha pesquisa ganhasse outra proporção e uma nova dimensão.”

Depois de alguns anos de estudo, indo aos Estados Unidos e procurando documentos que pudessem comprovar políticas promovidas pelo país para atrair brasileiros, Dária foi selecionada, no final de 2015, para fazer parte do novo Programa Ano Sabático do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP. O programa permitiu que seis pesquisadores da Universidade passassem um ano se dedicando integralmente à pesquisa. A professora conta que, ao longo de 2016, teve a oportunidade de ir aos Estados Unidos novamente, coletar mais algumas informações que precisava, e tempo para escrever o trabalho intitulado Exílio Artístico: Trânsito de Artistas Brasileiros para Nova York Durante as Décadas de 1960 e 1970.

Leia mais: Jornal da USP