Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

05
fev
2017

O dia em que uma bomba-relógio tentou calar o teatro em Brasília.

O ano era 1979 e a repressão da ditadura militar ainda pairava como uma nuvem pesada sobre artistas do Brasil e de Brasília. Na capital do país, uma bomba-relógio foi usada para tentar calar atores e atrizes, sob comando da diretora Ruth Escobar, que interpretavam a peça “Revista Henfil”, no Teatro da Escola Parque da 308 Sul.

O texto, assinado pelo desenhista em parceria com Oswaldo Mendes, causava arrepios aos militares. A peça já havia sido proibida na cidade três meses antes, pois, para a censura oficial, o conteúdo era considerado subversivo. A história do atentado é contada em detalhes pelo então assessor da Coordenação de Informações, Planejamento e Operações (CIPO) da Secretaria de Segurança Pública do DF, capitão Carlos Alberto Cardozo, em relatório feito a pedido da direção do órgão.

Leia mais: Metropoles