Histórias da Ditadura

Referências

Autor

Carla Simone Rodeghero, Gabriel Dienstmann, Tatiana Trindade

Título

Anistia ampla, geral e irrestrita: história de uma luta inconclusa.

Formato

Livro

Palavras-chave

Anistia, Editora UNISC, 2011

Sinopse

5c3906

Este livro conta uma história ainda pouco estudada, mas muito atual: a história da luta em prol da anistia às pessoas que foram perseguidas pela ditadura civil-militar, instaurada no Brasil em 1964. Elege como foco a luta travada no Rio Grande do Sul, dialogando com os desdobramentos da questão em nível nacional. Explora a movimentação política e social que marcou a segunda metade do período ditatorial, o período que se inicia entre 1974 e 1975 – quando se dão a ver configurações novas da oposição – e e que culmina em 1979, com a aprovação da Lei da Anistia. Ao mesmo tempo em que busca destacar que a anistia foi bandeira de luta, o estudo adentra na análise dos limites das políticas da distensão e da abertura, no seio dos quais a medida esteve inserida. Reflete, ainda, sobre a herança deixada pela lenta e conservadora transição do poder dos militares para os civis, considerando que se trata de um processo ainda sem conclusão.

A inconclusão não se refere apenas ao fato de que não foram atendidas todas as demandas dos que lutavam pela anistia no final da década de 1970. Tem a ver com a atualidade do tema. Nos últimos anos, as questões relacionadas à herança da ditadura e à anistia vê ganhando visibilidade a partir de demandas e de polêmicas protagonizadas por grupos da sociedade civil, em diálogo ou em conflito com iniciativas governamentais. Não se trata, no entanto, de um debate circunscrito ao âmbito nacional. As experiências de outros países que passaram por ditaduras e a fecunda discussão sobre a legislação internacional de direitos humanos e sobre a justiça de transição têm sido variáveis influentes no tratamento do tema da anistia no Brasil, mais de 30 anos após a aprovação da lei de 1979.

Classificação
[Total: 0    Média: 0/5]

Comentários

Deixe uma resposta