Histórias da Ditadura

Referências

Autor

Gilvan Odival Veiga Dockhorn

Título

Quando a ordem é segurança e o progresso é o desenvolvimento. O Estado civil-militar.

Formato

Livro

Palavras-chave

Governo militar, Editora PUC-RS, 2002

Sinopse

159929

O regime civil-militar brasileiro instaurado em 164 sofreu indagações de diferentes naturezas, de diferentes áreas do conhecimento e de diferentes ângulos de observação. Contudo, as diversas análises – algumas consagradas outras contestadas – potencializaram novas interpretações. Em Quando a Ordem é Segurança e o Progresso é Desenvolvimento buscou-se construir proposições originais, formulando novas questões que dessem nota dos fatores de coesão de uma série de interesses – alguns contraditórios – que viabilizaram os eventos de 1964 bem como, propor a discussão da utilização do medo como fato de aglutinação e legitimação. Após 1964, configurado e implementado um projeto modernizante-conservador, uma nova série de conflitos, cujo epicentro encontra-se no interior da coalizão intervencionista, desestabilizou sistematicamente os governos militares que se seguiram. Nesta conjuntura de estreitas alternativas políticas, os meios de comunicação afirmaram-se definitivamente como peças fundamentais no jogo político. O período tralhado neste livro revela também, as utopias de uma geração submersa nas fusões e confusões que uniram Jimi Hendrix a Che Guevara e Janis Joplin a Mao Tsé-Tung, resultando de hippies a guerrilheiros, de atores a espectadores, de conformados a torturados. A onda de agitação se esgotou antes mesmo do nascituro dos “70” e o establishment, apesar de pequenas avarias – como a exposição da violência do cotidiano – conservou-se. Porém, a contradição ficara mais exposta ainda.

Classificação
[Total: 0    Média: 0/5]

Comentários

Deixe uma resposta