• Diego Gambier

Carnaval - Um filme, um livro, uma música

No dia 28 de fevereiro teve início o Carnaval de 2022. Infelizmente, por mais um ano, nos vemos impossibilitados de festejar esse período devido ao aumento dos casos de coronavírus no país. A festa, que comumente é celebrada em ruas e avenidas, não pode existir sem aglomeração, o que impede sua realização pelo momento que vivemos. Enquanto morremos de saudade de pular o Carnaval, temos que nos contentar em fazer nosso carnaval particular, e aqui no História da Ditadura, daremos opções para assistir, ler e ouvir o Carnaval neste ano.


FILME:

“Fevereiros” dirigido por Marcio Debellian (2017). Essa é uma descoberta pessoal que me deixou em êxtase. Simplesmente se trata de um documentário sobre o Carnaval a partir da biografia de nossa rainha Maria Bethânia. Ao mesmo tempo em que trata da sua trajetória, a narrativa aborda o carnaval e a relação da cantora com a festa, pois, desde sua infância em Santo Amaro da Purificação (BA), a artista sempre festejou o Carnaval, o que marcou fortemente sua formação como artista. A narrativa também privilegia o desfile da Mangueira do ano de 2016, quando a escola se consagrou campeã com um desfile que homenageou a Maria Bethânia com o enredo A Menina dos Olhos de Oyá. Ao falar sobre música, escola de samba e religião, o documentário permite conhecermos a cantora com mais profundidade por meio de uma perspectiva particular. O documentário se encontra disponível na Globoplay!


 
LIVRO:

Pra tudo começar na quinta-feira: o enredo dos enredos” de Luiz Antônio Simas e Fábio Fabato (2015). Esse livro, como evidenciado no título, esmiúça um tema essencial para pensarmos o carnaval: os enredos das escolas de samba. Simas e Fabato contam a história de alguns enredos das escolas samba do Rio de Janeiro, se preocupando em contemplar também a história dos criadores desses sambas. A narrativa, enquanto aborda essa temática, não esquece de relacioná-los aos respectivos contextos históricos sobre o qual esses enredos foram criados. Apesar do livro contar uma história que dialoga muito com a cidade do Rio, as reflexões a partir dos sambas não se limitam a ela, mas também nos permitem refletir sobre questões relativas à sociedade brasileira como um todo.


 
MÚSICA:

Noite dos Mascarados” de Chico Buarque. Essa música em homenagem ao Carnaval já foi interpretada por Chico Buarque em parceria com Elis Regina e com Maria Bethânia. A história curiosa dessa música é que ela foi colocada no álbum de Chico para substituir a música Tamandaré, que havia sido censurada durante a ditadura militar, no ano de 1966. A letra dessa música, que trata de um romance carnavalesco, foca em um elemento muito importante da festa, que é a ideia de não importar que persona você assumirá durante os dias de folia. Trago aqui uma outra intérprete da música, que sabe como ninguém contagiar o ouvinte com a alegria do carnaval, a cantora Margareth Menezes.



61 visualizações

Posts recentes

Ver tudo