• Diego Gambier

Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ - um filme, um livro, uma música

No dia 28 de junho, comemora-se o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+. A data faz referência à noite do dia 28 de junho de 1969, quando o bar Stonewall Inn, nos EUA – um dos mais frequentados por LGBTs – foi invadido pela polícia, que prendeu alguns de seus frequentadores. No entanto, houve resistência e foi iniciada uma rebelião que entrou para a história como um marco da luta do movimento LGBT.


Inspirado pelo mês do #PrideMonth, hoje as indicações culturais são obras essenciais para celebrarmos a diversidade e reafirmarmos a necessidade do combate à LGBTfobia.

FILME:

A Morte e a Vida de Marsha P. Johnson” de David France (2017). O documentário, disponível na Netflix, celebra o legado da ativista e ícone drag queen que teve papel fundamental na Rebelião de Stonewall. Para além de sua participação no movimento, o filme aborda as ações de Johnson posteriores à rebelião, como, por exemplo, quando ela e sua amiga também drag queen Sylvia Rivera criaram a Street Transvestite Action Revolutionaries (S.T.A.R), que procurava promover os direitos das pessoas LGBTs e oferecer moradia a jovens sem-teto. Além disso, o documentário investiga as circunstâncias da morte da ativista, cujo corpo foi encontrado no rio Hudson no ano de 1992.


 

LIVRO:

Contra a moral e os bons costumes: a ditadura e a repressão à comunidade LGBT” de Renan Quinalha (2021). O livro de Renan Quinalha aborda a repressão da população LGBTQIA+ em um dos momentos mais duros da história brasileira: a ditadura militar. O autor analisa as formas de repressão nas ruas, que eram praticadas frequentemente por agentes públicos. Estes, respaldados por seus superiores hierárquicos e por suas concepções político-morais conservadoras, utilizavam da violência com total liberdade. Assim, além de usar o aparato repressivo contra os indivíduos considerados “subversivos”, o Estado também buscava regular a vida das pessoas LGBTs.


 

MÚSICA:

Calmô” da Liniker (2019). Mais uma indicação totalmente enviesada do colunista que vos escreve, pois é a minha música favorita do incrível álbum “Goela Baixo” (2019). “Calmô” valoriza a intimidade, o momento do cafuné e o edredom, além de ter ganhado um belo videoclipe sobre o amor de duas mulheres que viajam juntas por diversos lugares. Com um vozeirão, letras densas e uma musicalidade incrível, não só a música, mas o álbum precisa estar na sua playlist!



53 visualizações

Posts recentes

Ver tudo