top of page
  • Foto do escritorDiego Gambier

Luís Inácio Lula da Silva - um filme, um livro, uma música

Atualizado: 6 de fev. de 2023

No dia 1º de janeiro de 2023, Luís Inácio Lula da Silva tomou posse em uma histórica cerimônia realizada em Brasília. Mais do que marcar simbolicamente o início do terceiro mandato de Lula, o contexto histórico eleva a importância da cerimônia após quatro anos de governo Bolsonaro em um ambiente de constantes ameaças golpistas. Diferentemente de 2003 e de 2007, este ano marca uma derrota importante – ainda que não definitiva –, de um movimento de extrema-direita que se consolidou recentemente e que tem o ex-presidente como um de seus vetores. Ainda que o bolsonarismo transcenda Bolsonaro, a vitória de Lula não deve ser diminuída e pode marcar uma virada para um horizonte em que o obscurantismo bolsonarista seja derrotado. Assim, nossas indicações serão direcionadas para refletirmos sobre os avanços e os entraves da democracia brasileira do tempo presente.



FILME:

“8 presidentes 1 juramento” Carla Camurati (2021).


Dirigido por Carla Camurati, o documentário “8 Presidentes 1 Juramento” caminha por 35 anos da história política do país. Nesse recorte temporal adotado pela diretora, o filme aborda desde o movimento das “Diretas Já” até a posse de Jair Bolsonaro. Repleto de imagens raras e feito apenas com imagens de arquivo, a narrativa criada se soma ao drama real da vida política brasileira. Propondo-se construir uma memória do período de redemocratização do Brasil, o filme reflete sobre os avanços e os percalços da construção da democracia brasileira para também buscar respostas de como permitimos o avanço de um projeto de extrema-direita no país. O filme está disponível na Globo Play.



 

LIVRO:

PT, uma história” de Celso Rocha de Barros (2022).


Celso Rocha de Barros é servidor federal, doutor em sociologia pela Universidade de Oxford (Inglaterra), escritor e colunista. Sua obra mais recente como escritor foi o livro “PT, uma história” que detalha a trajetória do maior partido da esquerda brasileira da Nova República, o Partido dos Trabalhadores. No livro, o autor procura fazer uma ampla e refinada análise da história do PT desde sua criação até o período mais recente. Devido à complexidade de sua história, “PT, uma história” é um daqueles calhamaços, mas extremamente bem escrito e que propõe argumentos profundos para pensar a política brasileira.


 

MÚSICA:

Trabalhadores do Brasil” Emicida e Marcelino Freire (2015).


O pernambucano Marcelino Freire é poeta e escritor, sendo vencedor de uma série de prêmios de literatura como o Prêmio Jabuti de 2006. Para seu álbum “Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa”, Emicida convidou Marcelino para declamar um de seus mais belos poemas “Trabalhadores do Brasil”. Ainda que seja uma faixa pouco conhecida por não contar com a participação do Emicida, esta contribuiu muito para a narrativa do álbum, que procurou abordar a relação histórico-cultural do Brasil com o continente africano. O poema traz diversas referências históricas relacionadas à cultura afro-brasileira e à escravidão, direcionando a crítica de seu poema à condição de vida da população negra pertencente à classe trabalhadora brasileira. A interpretação de Marcelino é belíssima, dando o tom necessário à crítica sintetizada pelo verso final da canção: “Seu branco safado! Ninguém aqui é escravo de ninguém!”



96 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page