• Diego Gambier

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto - um filme, um livro, uma música

Atualizado: 4 de abr.

Hoje, dia 27 de janeiro, é o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, instituído pelas Nações Unidas. A data faz referência à liberação, pelas tropas soviéticas, dos judeus do campo de concentração e de extermínio de Auschwitz, em 1945. A importância de dedicar o dia à memória das vítimas tem se tornado ainda mais urgente nos últimos anos, já que observamos o crescimento de discursos antissemitas, racistas e xenófobos no Brasil e no mundo. Rememorar tais acontecimentos é essencial para resistir ao crescimento do fascismo e combater o negacionismo histórico. Por esse motivo, nossa coluna de hoje trará importantes referências culturais sobre esse duro acontecimento histórico.


FILME:

Negação dirigido por Mick Jackson (2017). O drama biográfico é baseado em uma história real do processo que envolveu a professora e historiadora norte-americana especialista na história do Holocausto, Deborah Lipstadt, e o escritor negacionista do nazismo, David Irving. Irving processou Lipstadt após a publicação do seu livro Negando o Holocausto: o crescente ataque à verdade e à memória, em 1993, pela historiadora tê-lo acusado de propagar negacionismos sobre o Holocausto. No livro, Lipstadt descreve que Irving minimizava a responsabilidade de Adolf Hitler no massacre de 6 milhões de judeus. A trama, que gira em torno do processo, consegue prender bem a atenção do espectador, além de abordar com o rigor necessário a questão do negacionismo. É um filmaço!


 
LIVRO:

O sobrevivente: memórias de um brasileiro que escapou de Auschwitz de Aleksander Henryk Laks e Tova Sender (2000). Aleksander Henryk Laks, polônes radicado no Brasil, resistiu por seis anos no campo de concentração de Auschwitz, tendo sido libertado pelas tropas soviéticas no último ano da Segunda Guerra Mundial. Aleksander conta em sua biografia sofrimentos inimagináveis aos quais foi submetido e narra como conseguiu escapar de situações aterrorizantes para se manter vivo. Em 2015, o gigante Aleksander Henryk Laks faleceu no Rio. Apesar de ter nos deixado, seu legado de luta e resistência pela memória das vítimas do holocausto permanece.


 
MÚSICA:

Schrei Nach Liebe da banda alemã Die Ärzte. Pela primeira vez nesta coluna, trazemos uma música na complicada língua alemã, mas não nos julgue por isso e dê uma chance a ela. A banda de punk rock Die Ärzte lançou, em 1993, a música Schrei Nach Liebe (Gritar por amor), que é um ataque explícito ao movimento neonazista. A letra é recheada de palavras de carinho direcionadas aos neonazistas, como “você é realmente um estúpido” e “você nunca aprendeu a se expressar”. Respeitando a tradição do punk, a mensagem é passada da forma mais clara e combativa possível. Em 2015, no meio da crise dos refugiados na Alemanha e a ascensão de movimentos neonazistas, a canção voltou às paradas no país após terem promovido uma campanha na internet para seu resgate, como forma de resposta aos discursos xenofóbicos. Aprecie essa refinada poesia dedica aos neonazistas com sua jaqueta preta, corrente pontiaguda, coleira e uma maquiagem extravagante.



 

Como citar este artigo:

GAMBIER, Diego. Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. História da Ditadura, 27 jan. 2022. Disponível em: https://www.historiadaditadura.com.br/post/diainternacionalemmemoriadasvitimasdoholocausto-umfilme-umlivro-umamusica . Acesso em: [inserir data].


163 visualizações

Posts recentes

Ver tudo